"Localizada na Praça Getúlio Vargas, no Centro, a Igreja Matriz de São João Batista que conhecemos atualmente nada tem a ver com a sua construção original. Devido às obras de ampliação, nas décadas de 50 e 60, perderam-se todas as linhas arquitetônicas coloniais, mantendo-se, no entanto, o ponto de fé e de orgulho de sua comunidade.

Sua construção começou por volta de 1875 com a doação de 30 contos de réis e mais a pia batismal feita pela Princesa Isabel, além da ajuda de famílias tradicionais da cidade, como os Tavares Guerra, Telles de Menezes, Alves Carneiro, entre outras.

No local foi erguida uma capela e a Igreja começou a ganhar os contornos de uma Matriz com a chegada dos franciscanos à região, em 1932. A sua inauguração deu-se no dia 24 de junho de 1938 com a presença do então interventor no Estado do Rio de Janeiro, o sr. Amaral Peixoto. Aos fundos, ficava o Cemitério da Irmandade Sagrado Coração, onde hoje funciona o Colégio Fluminense. A área da praça ia desde o cemitério até a av. Dr. Arruda Negreiros.
A Igreja de São João Batista de Meriti é constituída de uma grande nave central com capela-mor e coro. Quadros da Vida de Cristo compõem os vitrais. Detalhes em alto-relevo nas paredes representam a via-crúcis. Teto e pilastras decorados. Destaca-se ainda a construção da Torre do relógio nas décadas de 1950/1960. Possui teatro, salões de festa e prédio de resistência paroquial. Como estilo de arquitetura, apresenta-se uma profusão de traços que nos lembram o gótico nos arcos frontais do interior e exterior, prevalecendo o estilo maneirista.

Antecedentes históricos - O processo de colonização das terras que formam o território de Meriti teve início em 1567 com a Sesmaria dada a Brás Cubas. Durante os séculos XVII e XVIII foram fundadas muitas fazendas que cultivaram além da cana, produtos de subsistência. A primeira igreja data de 1647, nas margens do rio Meriti. Em 1833, com a criação da Vila de Iguassú, Meriti transforma-se em Freguesia e depois Distrito. Em 1886 suas terras são cortadas pela Estrada de Ferro Rio D’ouro. O rio Meriti deixa de ser navegável e o povoamento segue o roteiro da linha férrea. No século XX, com o crescimento da Cidade do Rio de Janeiro, São João de Meriti sofre com o “inchaço” populacional e em 21 de agosto de 1947 é emancipada do município de Duque de Caxias, do qual era o seu 2º Distrito."


Fonte: www.franciscanos.org.br



Atual Praça da Matriz de São João de Meriti

Voltar